A todos aqueles que me pedem informações através dos comentários, peço por favor que deixem o contacto de email para que possa responder às dúvidas colocadas ou enviem um email para


milkaleite@hotmail.com




Obrigada e voltem sempre! :)


Encontre o que precisa neste blog

Carregando...

Siga-me através do seu email

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Desenvolvimento da criança (de 1 a 2 anos)


Desenvolvimento Físico

• Começa a andar, sobe e desce escadas, trepa os móveis, etc. – o equilíbrio é inicialmente bastante instável, uma vez que os músculos das pernas não estão ainda bem fortalecidos. Contudo, a partir dos 16 meses, o bebé já é capaz de caminhar e de se manter de pé em segurança, com movimentos muito mais controlados;

• Melhoria da motricidade fina devido à prática – capacidade de segurar um objecto, manipulá-lo, passá-lo de uma mão para a outra e largá-lo deliberadamente. Por volta dos 20 meses, será capaz de transportar objectos na mão enquanto caminha;


Desenvolvimento Intelectual

• Maior desenvolvimento da memória, através da repetição das actividades – permite-lhe antecipar os acontecimentos e retomar uma actividade momentaneamente interrompida, à qual dedica um maior tempo de concentração. Da mesma forma, através da sua rotina diária, o bebé desenvolve um entendimento das sequências de acontecimentos que constituem os seus dias e dos seus pais;

• Exibe maior curiosidade: gosta de explorar o que o rodeia;

• Compreende ordens simples, inicialmente acompanhadas de gestos e, a partir dos 15 meses, sem necessidade de recorrer aos gestos;

• Embora possa estar ainda limitada a uma palavra de cada vez, a linguagem do bebé começa a adquirir tons de voz diferentes para transmitir significados diferentes. Progressivamente, irá sendo capaz de combinar palavras soltas em frases de 2 palavras;

• É capaz de acompanhar pedidos simples, como por ex. "Dá-me a caneca";

• As experiências físicas que vai fazendo ajudam a desenvolver as capacidades cognitivas. Por exemplo, por volta dos 20 meses, sabe que um martelo de brincar serve para bater e já o deve utilizar;

• Consegue estabelecer a relação entre um carrinho de brincar e o carro da família;

• Entre os 20 e os 24 meses é também capaz de brincar ao faz-de-conta (por ex., finge que deita chá de um bule para uma chávena, põe açúcar e bebe - recorda uma sequência de acontecimentos e faz de conta que os realiza como parte de um jogo). A capacidade de fazer este tipo de jogos indica que está a começar a compreender a diferença entre o que é real e o que não é;


Desenvolvimento Social

• Aprecia a interacção com adultos que lhe sejam familiares, imitando e copiando os comportamentos que observa;

• Maior autonomia: sente satisfação por estar independente dos pais quando inserida num grupo de crianças, necessitando apenas de confirmar ocasionalmente a sua presença e disponibilidade - esta necessidade aumenta em situações novas, surgindo uma maior dependência quando é necessária uma nova adaptação;

• As suas interacções com outras crianças são ainda limitadas: as suas brincadeiras decorrem sobretudo em paralelo e não em interacção com elas;

• A partir dos 20-24 meses, e à medida que começa a ter maior consciência de si própria, física e psicologicamente, começa a alargar os seus sentimentos sobre si própria aos outros - desenvolvimento da empatia (começa a ser capaz de pensar sobre o que os outros sentem);


Desenvolvimento Emocional

• Grande reactividade ao ambiente emocional em que vive: mesmo que não o compreenda, apercebe-se dos estados emocionais de quem está próximo dele, sobretudo os pais;

• Está a aprender a confiar, pelo que necessita de saber que alguém cuida dela e vai de encontro às suas necessidades;

• Desenvolve o sentimento de posse relativamente às suas coisas, sendo difícil partilhá-las;

• Embora esteja normalmente bem disposta, exibe por vezes alterações de humor ("birras");

• É bastante sensível à aprovação/desaprovação dos adultos;


SINAIS DE ALERTA

• Adaptabilidade excessiva, ou seja, passividade, retirada;

• Medos excessivos;

• Comportamentos executados de forma obsessiva: por exemplo, abanar a cabeça, chuchar no dedo;

• Falta de interesse pelos objectos, jogos ou pelo ambiente que a rodeia;

• Comportamentos rebeldes excessivos: alterações bruscas de humor;

• Comportamentos incontroláveis, tais como morder ou bater;

• Sono: dificuldade em adormecer sozinho; insónias.

Um comentário:

Anônimo disse...

tenho um filho com 20 meses mas a inha relacao com o meu marido nunca foi a melhor estou a pensar em separarme sera que a crianca vai entender e pode vir a sofrer con isso no futuro