A todos aqueles que me pedem informações através dos comentários, peço por favor que deixem o contacto de email para que possa responder às dúvidas colocadas ou enviem um email para


milkaleite@hotmail.com




Obrigada e voltem sempre! :)


Encontre o que precisa neste blog

Carregando...

Siga-me através do seu email

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Desenvolvimento da criança (de 4 a 5 anos)



Desenvolvimento Físico

• Rápido desenvolvimento muscular;

• Grande actividade motora, com maior controlo dos movimentos;

• Consegue escovar os dentes, pentear-se e vestir-se com pouca ajuda;


Desenvolvimento Intelectual

• Adquiriu já um vocabulário alargado, constituído por 1500 a 2000 palavras; manifesta um grande interesse pela linguagem, falando incessantemente;

• Compreende ordens com frases na negativa;

• Articula bem consoantes e vogais e constrói frases bem estruturadas;

• Exibe uma curiosidade insaciável, fazendo inúmeras perguntas;

• Compreende as diferenças entre a fantasia e a realidade;

• Compreende conceitos de número e de espaço: "mais", "menos", "maior", "dentro", "debaixo", "atrás";

• Começa a compreender que os desenhos e símbolos podem representar objectos reais;

• Começa a reconhecer padrões entre os objectos: objectos redondos, objectos macios, animais...


Desenvolvimento Social

• Gosta de brincar com outras crianças; quando está em grupo, poderá ser selectiva acerca dos seus companheiros;

• Gosta de imitar as actividades dos adultos;

• Está a aprender a partilhar, a aceitar as regras e a respeitar a vez do outro;


Desenvolvimento Emocional


• Os pesadelos são comuns nesta fase;

• Tem amigos imaginários e uma grande capacidade de fantasiar;

• Procura frequentemente testar o poder e os limites dos outros;

• Exibe muitos comportamentos desafiantes e opositores;

• Os seus estados emocionais alcançam os extremos: por ex., é desafiante e depois bastante envergonhada;

• Tem uma confiança crescente em si própria e no mundo;


Desenvolvimento Moral

• Tem maior consciência do certo e errado, preocupando-se maioritariamente em fazer o que está certo; pode culpar os outros pelos seus erros (dificuldade em assumir a culpa pelos seus comportamentos);


SINAIS DE ALERTA

• Medos excessivos;

• Ansiedade de separação extrema;

• Enurese nocturna;

• Timidez;

• Comportamentos de bullying (agressividade) relativamente aos pares;

• Inibição manifesta nas brincadeiras e na linguagem;

• Comportamentos ritualísticos, sobretudo à volta da comida;

• Problemas na fala persistentes: vocabulário pobre, inferior a 1500 palavras; má articulação das consoantes e vogais;

• Falta de interesse pelos outros:

• Pouca capacidade para fantasiar;

• Grande dificuldade em aceitar as regras;

• Situações extremas de comportamentos desafiantes e opositores, com grande dificuldade de auto-consolo.

• Sono: dificuldade em adormecer sozinho; insónias.



CURIOSIDADES:

“Em Karkhla, no Paquistão, crianças com idades de 4 e 5 anos trabalham em fábricas de tijolos. O seu desgastante trabalho consiste em virarem milhares de tijolos, para que sequem mais rapidamente ao sol.”
“Em Cabul, no Afeganistão, as crianças disputam migalhas de carvão dos sacos transportados por camiões da Cruz Vermelha, de modo a garantir o seu próprio sustento.”
“Em Tegucigalpa, Honduras, abutres e crianças disputam as sobras que encontram no aterro sanitário da capital hondurenha.”
“Em Sliguri, na Índia, pequenas mãos de crianças, calejadas em troca de um salário irrisório, quebram pedras na periferia da cidade.”
Segundo a OIT, mais de 220 milhões de crianças trabalham, a maioria em funções perigosas. Segundo a UNICEF, milhões de crianças são vítimas de exploração sexual. Segundo a OMS, existem mais de 100 milhões de crianças a viver nas ruas do mundo subdesenvolvido. Segundo a UNICEF, 55% das mortes de crianças estão associadas à desnutrição, à fome que debilita lentamente.
É verdade. O nosso mundo trata muito mal as suas crianças.
Entramos no mês de Dezembro. Certamente o mês das crianças. O mês do nascimento e da Vida. Mas também o tempo da fartura ou do seu excesso.
É verdade. O tempo certo para pensarmos nas crianças do mundo.
O flagelo das mãos calejadas acontece muitas vezes com a complacência da família e da sociedade.
Há crianças no mundo abandonadas à sua sorte. Sem alguém capaz de ouvir o profundo apelo “mamã defende-me”.
É verdade. O tempo certo para pensarmos nas crianças do nosso pequeno mundo. Ou naquelas que, abandonadas a si próprias, não tiveram sequer a sorte de serem crianças.

6 comentários:

Anônimo disse...

Adorei este blog, porque me ajudou num trabalho para a faculdade.
Obrigada a quem o fez....
ass: Margarida

Anônimo disse...

Gostaria de saber qual é a referência bibliografica que vc utilizou para criar este link de desenvolvimento infantil?

Karla

Cláudia disse...

Olá Karla

Utilizei várias referências através de trabalhos feitos na Faculdade. Uma das referências é http://www.insight.pt/desenvolvimentocriancas.htm. Existem outras mas não me recordo quais são.

Anônimo disse...

Gostaria de saber quais os autores que vc usou para fazer esse texto.

Karla

Anônimo disse...

Olá ! Li o artigo acima e achei muito interessante pois tenho um filho de 2 e um outro de 4 anos !! Como os dois são "filhos do coração" e acabaram de chegar, estou em busca de conhecimento sobre o comportamento deles.Gostaria de entender melhor a respeito dos comportamentos de alerta, ou seja, em cada caso citado qual seria a alerta ?
Espero a ajuda de vocês !!!
Abraço

Anônimo disse...

Olá ! Li o artigo acima e achei muito interessante pois tenho um filho de 2 e um outro de 4 anos !! Como os dois são "filhos do coração" e acabaram de chegar, estou em busca de conhecimento sobre o comportamento deles.Gostaria de entender melhor a respeito dos comportamentos de alerta, ou seja, em cada caso citado qual seria a alerta ?
Espero a ajuda de vocês !!!
Abraço