A todos aqueles que me pedem informações através dos comentários, peço por favor que deixem o contacto de email para que possa responder às dúvidas colocadas ou enviem um email para


milkaleite@hotmail.com




Obrigada e voltem sempre! :)


Encontre o que precisa neste blog

Siga-me através do seu email

quinta-feira, 24 de março de 2011

Berçário: Parte II

Estas são algumas actividades que o educador pode desenvolver em contexto de Berçário. Concerteza muitos de nós já nos deparámos com esse contexto sem saber que tipo de actividades realizar com os bebés. Como forma de ajudar educadores de berçário e também futuros papás, deixo alguns exemplos de actividades que podem estimular os bebés até por volta do 1º ano. São algumas ideias que foram sendo pesquisadas aqui e ali mas que ainda não tive oportunidade de por em prática na sua maioria. Penso que são actividades que normalmente se fazem inconscientemente com os bebés mas que não pensamos no seu valor pedagógico. Pensando na pedagogia, podemos então enriquecer ainda mais cada actividade, complexificando-a para que a criança se desenvolva cada vez mais.



* Segurar um objeto preso por um fio e fazer movimentos para que a criança tente pegá-lo esticando os bracinhos e acompanhando os seguintes movimentos:

- Acima / Abaixo

- Longe / Perto

- Pendulo / Circular


* Esconder um objecto e mostrar à criança logo de seguida


* Esconder o objecto e apresentá-lo ao bebé com as mãos alternadas, até que ele desenvolva a habilidade de memorizar que o objecto aparece numa mão de cada vez alternadamente e desenvolva a capacidade de antecipar esse acontecimento.


* Induzir a imitação de movimentos simples:

- Colocar a língua para dentro e para fora

- Abrir e fechar a boca

- Fazer bico / vibrar os lábios e as línguas

- Abrir e fechar as mãos / bater palmas


* Esconder o rosto com um pano e esperar que a criança o puxe para nos encontrar


* Esconder um objecto debaixo de um pano e esperar que a criança puxe o pano para encontrá-lo


* Cantar balançando a criança de acordo com o ritmo da música


* Rolar


* Gatinhar / passar por cima, por baixo de obstáculos.


* Colocar a criança de costas, emitir sons por trás dela e esperar que ela se vire em busca da localização da fonte sonora.


* Colocar e retirar objetos dentro de uma caixa


O berçário - Parte I

Quando os bebés nascem, compreendem e captam pouco do mundo que os rodeia uma vez que os seus sentidos não se encontram ainda focalizados.Mas quando o bebé nasce, já possui um conjunto de reflexos que demonstram o seu instinto natural de sobrevivência. Todos estes reflexos desaparecem por volta dos três meses, pois caso contrário, o seu desenvolvimento ficaria comprometido e as novas capacidades não poderiam surgir.
A melhor forma de ajudar e encorajar o desenvolvimento do bebé é através dos sentidos – visão, audição, tacto, olfacto e paladar – porque estes são os meios que utilizará para explorar o mundo antes de se poder movimentar nele sozinho.
Durante os primeiros meses, os bebés pouco mais fazem do que dormir e comer, mas de vez em quando começam a surgir traços da sua personalidade.
Entre os dois e os três meses, o bebé já é capaz de fazer mais coisas e está cada vez mais interessado pelo mundo. A criança bate nos objectos, leva a mão à boca e agarra um brinquedo. Em breve, o bebé percebe que é ele próprio a fazer o barulho com a boca.
Entre os três e os seis meses, o bebé segura no brinquedo e explora-o com as mãos e a boca. Bater e atirar brinquedos parece ser uma resposta universal.
Entre os seis e os nove meses um dos feitos mais importantes dos bebés é conseguir mudar de posição. Conseguem rolar em ambas direcções, sentar-se sem ajuda, sentar-se e virar (sem cair), passar da posição de bruços para a posição de sentado e por fim levantar-se.
Durante estes meses, os bebés dão enormes passos cognitivos à medida que se apercebem do mundo que os rodeia. Entre os nove e doze meses, os bebés parecem estar sempre em movimento.
Os brinquedos de empurrar e puxar são também úteis pois dão à criança algo a que se pode agarrar, dando apoio.

Os bebés estão assim a aprender habilidades novas e a conseguir mover-se e a tentar descobrir como é que as coisas funcionam através de exploração.

É função do Educador de Infância, planificar e criar todas as condições necessárias para estimular o desenvolvimento dos bebés, nunca esquecendo que cada bebé tem o seu próprio ritmo.

Os primeiros anos são fundamentais para a formação da personalidade do bebé. Será papel do educador ajudá-lo a seguir em frente e caminhar com ele na apaixonante aventura de crescer.
Qualquer bebé transforma um objecto – por mais estranho que pareça – num brinquedo.

Fonte: Programação e planificação na creche 0-1 ano: Bola de Neve

segunda-feira, 21 de março de 2011

Avaliação em Educação Pré-Escolar


Ao longo do meu curso fui confrontada com o Sistema de Acompanhamento de Crianças (SAC). Não o segui à risca mas fi-lo de uma forma mais adaptada que me ajudou a compreender cada criança que esteve comigo e a fazer com que a minha prática pedagógica corresse pelo melhor. Este livro ajuda-nos a compreender o que é o SAC e como podemos aplicá-lo nos contextos de Jardim de Infância. Ainda não li mas já o tive nas mãos e ando com curiosidade. É um livro recomendado a Educadores de Infância.

domingo, 20 de março de 2011

Neste momento estou a ler...

(clique na imagem para mais informações)
Comprei este livro e acho que está a ser bastante interessante.
Apesar de ser mais direccionado para pais, penso que este livro nos ajuda a lidar melhor com aqueles miúdos que por vezes nos fazem perder a paciência. às vezes dá vontade de dar uma palmadinha pedagógica mas...não é necessário. É mesmo possível educar sem bater. Para quem tem dificuldades em lidar com os filhotes, os netos ou até mesmo com meninos na Creche/Jardim de Infância, recomendo a leitura deste livro. Mostra-nos casos reais e algumas técnicas que podem ser utilizadas em alternativa ao castigo e punição.

sábado, 19 de março de 2011

Letra de forma VS Letra Cursiva

Encontrei este texto e penso que é bastante interessante. Está em Português do Brasil pelo que algumas palavras fazem parte do vocabulário brasileiro.

"É importante entender porque a criança aprende primeiramente a letrinha de fôrma e não a cursiva e não simplesmente ensinar só porque a maioria faz assim e dá certo! Realmente, dá certo, mas há uma explicação do motivo pelo qual essa maneira é a melhor!

A criança está desenvolvendo a motricidade na fase da alfabetização e a letra do tipo bastão é mais fácil para se adequar neste momento. Os rabiscos começam a se endireitar e formar letras.

As letras de fôrma são ideais para esta fase, pois os caracteres são individuais e podem ser escritos um após o outro. Os traços são resumidos a pauzinhos aglomerados uns nos outros. Já as letras cursivas exigem uma agilidade maior, uma vez que, além de outras finalidades, são utilizadas para tornar o registro mais rápido.

O traçado simples das letras de fôrma dão maior liberdade no ato da escrita, ao contrário das “letras de mão” que precisam de uma organização maior. O ato de ligar uma letra a outra também dificulta o processo, pois anula a ação de tirar o lápis do papel e investir as forças na próxima letra, o que ordena um esforço motor maior.

Além disso, antes mesmo de serem alfabetizadas, as crianças já possuem contato com as letras de imprensa em jornais, na televisão, em livros, gibis. Elas não conseguem ler, mas fica na memória visual das mesmas.

Logo, a percepção da letra de fôrma é mais rápida e fácil do que da letra cursiva. No entanto, é importante trabalhar com esta última, assim que o infante se habituar à primeira. Não há problemas se as duas formas coexistirem por um tempo, porque independente da letra o que deve sempre estar em foco é a escrita. Pois mais importante do que a letra que a criança escolhe, é a compreensão da escrita como um ato de comunicação."

Por Sabrina Vilarinho

FONTE: Equipe Brasil Escola

quinta-feira, 17 de março de 2011

For Japan With Love...


... Esta Sexta-Feira, 18 de Março, um dia de silêncio na blogosfera pelo Japão...

... Este é um pequeno gesto que não custa nada... É algo que ninguém espera que aconteça, mas pode acontecer em qualquer parte do mundo.

... Mais informações visitem aqui ...