A todos aqueles que me pedem informações através dos comentários, peço por favor que deixem o contacto de email para que possa responder às dúvidas colocadas ou enviem um email para


milkaleite@hotmail.com




Obrigada e voltem sempre! :)


Encontre o que precisa neste blog

Siga-me através do seu email

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Produzidos para o baile - Creche

Hoje vou deixar uma ideia para actividade em Creche, para crianças a partir dos 2 anos.

PRODUZIDOS PARA O BAILE


IDADE: A partir de 2 anos.

TEMPO: 40 minutos.

ESPAÇO: Sala ampla.

MATERIAL: Espelho de corpo inteiro, aparelho de som, tecidos, fantasias e maquilhagem (testada dermatologicamente, antialérgica e sem álcool).


OBJECTIVO: Favorecer a construção da identidade com o uso do espelho.


Leve as crianças para uma sala que tenha um ou vários espelhos grandes para que todas consigam ver-se ao mesmo tempo.
Coloque as fantasias e os tecidos à disposição delas.
Comece a actividade dizendo que vai haver um grande baile e, por isso, elas precisam de vestir uma roupa especial e de se maquilhar.
Faça a pintura no rosto das crianças ou peça ajuda a outro educador/auxiliar. Quando o grupo estiver pronto, coloque músicas animadas e comece o baile. Depois de as crianças dançarem livremente, conduza a actividade sugerindo que façam caretas em frente do espelho, dobrem os joelhos, levantem os braços, expressem tristeza, balancem a cabeça e movimentem os tecidos que seguram.

Sugestão: maquilhe-se e fantasie-se também para se divertir juntamente com as crianças.


domingo, 16 de novembro de 2008

Novo blog - Zimma&Druzza Animações

Olá!

Hoje venho apenas anunciar um novo blog.
É um blog sobre animação de festas de aniversário, baptizados, casamentos, festas temáticas, actividades para tempos livres, etc.

Juntei-me com uma amiga e decidimos apostar na animação.

Ora vejam!


Dêem a vossa opinião, sugestões, exponham dúvidas.

Beijinhos!

Cláudia

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A Vaca Lili


Era uma bela manhã de Maio. As vacas pastavam alegremente quando, de repente, Lili levantou a cabeça. Com um olhar aborrecido, observou o prado à sua volta, dum verde suave, salpicado de margaridas. Para lá da cerca, havia mais pastos verdes, até perder de vista. Erva! Só erva! Sempre erva! Lili esticou o pescoço para o céu e deu um longo mugido:

- Muuuuuuuuuuuu, não quero comer mais erva!

Mas de repente, enquanto se aproxima da cerca, apercebe-se que está uma mosca a zunir numa das suas orelhas e que lhe diz:

- Mas a erva é o que há de melhor para ti.

- Talvez, mas apetece-me comer outra coisa!
– diz Lili com uma voz amuada. Bem que sacudiu a cabeça para ver se a afugentava, mas esta continuou agarrada à sua orelha.
Entretanto, enquanto a vaca tentava roer um osso de um cão que ali apareceu, a mosca continuava a teimar:

- Tu não tens dentes, não vais conseguir comer esse osso.

- Não é bem assim, eu tenho molares – corrigiu Lili. - E tenho quatro estômagos. Nisso ninguém me ganha.

Mas depressa se apercebeu de que a mosca tinha razão e desistiu do osso. Decidiu então continuar o seu passeio (sempre com a mosca atrás) e quando chegou perto da cerca ficou a olhar o comboio que chegava. Ela gostava de conhecer o mundo, para ver se era só erva como o prado onde sempre vivera.
Então, entrou no comboio e lá partiu ela para uma viagem muito divertida. Mas é claro que não foi sozinha. Por mais que não quisesse companhia, a mosca nunca a abandonava.
O mundo era imenso. Lili descobriu que havia muitos outros animais bem diferentes das vacas.
Na Rússia viu-se ursos a pescar peixes para comer.
Na China conheceu pandas, que comiam algo parecido à erva – bambu, que também era verde e tinha um sabor adocicado.
Depois viajou de barco pelo Oceano Pacífico e viu tubarões, entre outros peixes. Andou por mares calmos, por mares mais agitados, até que chegou à Argentina onde encontrou lamas – animais muito engraçados, parecidos com os camelos, mas mais divertidos que comiam erva e de vez enquando, cuspiam jactos de saliva.
No Brasil viu crocodilos, araras, entre outros animais e quase que era comida por um deles quando tentava apanhar uns frutos com aspecto delicioso.
Viajou de balão até África e conheceu o deserto e os animais típicos destes lugares quentes de areia – os camelos. Conheceu ainda as avestruzes…
De África viajou de barco até que, sem se aperceber, chegou a casa – ao seu prado verde onde pastavam as suas amigas vacas. A viagem tinha sido um sucesso! A mosca é que, farta de tantas aventuras, estava feliz por regressar a casa.
Mas não tardou muito e a nossa Lili, cansada da erva verde, voltou para junto da cerca à espera do comboio que a levaria pelo mundo fora à descoberta de novas aventuras.

História adaptada de "A Vaca Lili", Laurence Bourguignon, Edições Nova Gaia