A todos aqueles que me pedem informações através dos comentários, peço por favor que deixem o contacto de email para que possa responder às dúvidas colocadas ou enviem um email para


milkaleite@hotmail.com




Obrigada e voltem sempre! :)


Encontre o que precisa neste blog

Siga-me através do seu email

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Dinâmicas de grupo

Jogo "O João Bobo"

Este jogo propõe um "quebra gelo" entre os participantes e também pode ser observado o nível de confiança que os participantes têm um no outro.

Formam-se pequenos grupos de 8-10 crianças. Todas devem estar bem próximas, ombro-a-ombro, num círculo. Escolhem uma criançapara ir ao centro. Esta criança deve fechar os olhos (também pode ser utilizada uma venda), ficar com o corpo totalmente rígido, como se estivesse hipnotizada. As mãos ao longo do corpo tocando as coxas lateralmente, pés pra frente, tronco recto. Todo o corpo deve fazer uma linha recta com a cabeça.
Ao sinal combinado, a criança do centro deve soltar o seu corpo completamente, de maneira a que confie nos outros participantes. Estes, porém, devem com as palmas das mãos empurrar o "joão bobo" de volta para o centro. Como o corpo vai estar recto e tenso, a criança perderá o equilíbrio e penderá para um lado. O movimento é repetido por alguns segundos e todos devem participar no centro.

Jogo do Nome

Este jogo propõe um "quebra gelo" entre as crianças. Pode ser proposto no primeiro dia em que o grupo se encontra. É óptimo para decorar os nomes de cada um.
Em círculo, sentados ou de pé, as crianças vão uma a uma ao centro da roda (pode também ser no próprio lugar) e dizem o seu nome completo juntamente com um gesto qualquer . Em seguida todos devem dizer o nome da pessoa e repetir o gesto feito por ela.
Variação:Este jogo pode ser feito apenas com o primeiro nome e o gesto da criança, sendo que todas o devem repetir em somatória, ou seja, a primeira diz o seu nome com o seu gesto e a segunda diz o nome da anterior e o gesto dela e o seu nome e o seu gesto... e assim sucessivamente. Geralmente é feito com grupos pequenos, para facilitar a memorização. Mas poderá ser estipulado um número máximo, por exemplo, após a quarta criança, deve começar um outro ciclo de 1-4 crianças.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

"TUDO AQUILO QUE EU PRECISO REALMENTE SABER APRENDI NO JARDIM DE INFÂNCIA"


"TUDO AQUILO QUE EU PRECISO REALMENTE SABER APRENDI NO JARDIM DE INFÂNCIA"

Grande parte daquilo que eu realmente preciso saber, sobre a vida, o que fazer, como ser, eu aprendi no Jardim de Infância…Não foi na Universidade(...) que eu encontrei a verdadeira sabedoria, mas sim no recreio do Jardim de Infância. Foi exactamente isto que aprendi:partilhar tudo, brincar dentro das regras, colocar as coisas no lugar onde as encontrei, limpar o que sujei, não pegar naquilo que não era meu, pedir desculpas quando magoava alguém, lavar as mãos antes de comer… Descobri também, que café com leite é delicioso, que uma vida equilibrada é saudável, que pensar um pouco, desenhar, pintar, dançar, planear e trabalhar um pouco todos os dias, nos faz muito bem… Fazer uma sesta todas as tardes, ter muito cuidado com o trânsito, segurar as mãos de alguém e ficar juntos, são boas formas de enfrentar o mundo… Ter em atenção a todas as maravilhas do mundo e relembrar a pequena semente que um dia plantámos num copo de plástico: as raízes iam para baixo e as folhas iam para cima, mas ninguém realmente sabia o porquê… Mas nós somos assim! … Peixinhos dourados, hamsters e ratinhos brancos; e até mesmo a pequena semente do copo de plástico, tudo morre um dia… E nós também. Tudo o que tu realmente precisas saber, está aí: faz aos outros aquilo que gostarias que eles te fizessem a ti… Amor, higiene básica, ecologia, contribuem para uma vida mais saudável. Acho que tudo seria melhor, se todos nós, o mundo inteiro, tomássemos café com leite todas as tardes e descansássemos um pouquinho, agarrados a uma almofada. Ou se tivéssemos uma política no nosso país e em todas as coisas também, para colocarmos sempre as coisas, no lugar onde as encontrámos… E ainda, é verdade que, seja qual for a idade, o melhor é darmos as mãos e ficarmos unidos! …

Robert Fulghum